Archive for Julho, 2009

Fusion

Julho 17, 2009
we can do it!

we can do it!

Se você é do tipo trabalhadora, que paga as contas, rala todos os dias pegando ônibus, metro e afins, economiza cada centavo que pode pra comprar seu carrinho, mesmo que seja um FIAT 147 ou um Fusca, deixa de comprar um roupa nova, come uma empadinha pra economizar no almoço, fica em casa na sexta e nada de balada tudo pelo sonhado carro pra passear com as amigas ou a namorada no fim de semana.

Onde você se imagina daqui a 5 anos?

Acho que pela primeira vez vejo uma propaganda envolvendo uma mulher, um homem e um carro que não é machista e cliche. O filme mostra como andam as coisas realmente, deixando de lado a visão superexplorada na propaganda da mulher como Maria-gasolina. Mulheres independentes e bem resolvidas, somos mais de 60% da população nas universidades e muito em breve dominaremos o mercado de trabalho de forma avassaladora.

E no carro de uma mulher bem resolvida e realizada, homem serve só pra motorista mesmo.

Mulher, você fez por merecer!

Anúncios

Lollipop

Julho 17, 2009
sem comentários.kkkkk

sem comentários.kkkkk

Acabei de achar esse produto revolucionário passeando por blogs e tive que compartilhar. Gente, esse mundo de entretenimento adulto é um barato. esse seria um ótimo presente para a sua amiga solteirona que nunca sai de casa. Em vez de ficar em casa chupando dedo pode chupar o pirulitinho simpático.hahahahahha

Whip it!

Julho 16, 2009

 

Drew, atuando, produzindo e dirigindo.

Drew, atuando, produzindo e dirigindo.

 

Como já havia adiantado esse post é dedicado ao último trabalho de Drew Barrymore, que agora atua também atrás das câmeras. As primeiras fotos de Whip it! ( algo tipo Chicoteie!) o debut de Drew como diretora, foram divulgadas semana passada. O filme tem estréia prevista nos EUA para dia 9 de outubro, e a gente pode esperar sentada aqui no Brasil, right?

 

Roller Derby

Roller Derby

 

O filme conta a história de Bliss Cavendar (Ellen Page), uma adolescente que vive no Texas, curte indie rock e que pra escapar de um concurso barango de beleza imposto por sua mãe acaba entrando no acirrado mundo da corrida de patinação em pistas ovais – esporte conhecido nos EUA como roller derby.

 

Iron Maven, adorei o nome

Iron Maven, adorei o nome

 

Smashley Simpson (Barrymore), Malice in Wonderland (Wiig) e Bloody Holly (Zoe Bell) formam a equipe veterana, The Hurl Girl’s, e acabam adotando Bliss como parte do time. A arqui-inimiga da meninas no filme é Iron Maven vivida pela poderosíssima diva rocker Juliette Lewis, que é líder do The Holy Rollers, a equipe rival. Ou seja, Page e Barrymore vs Juliette, meu deus, esse filme promete, aposto que vai ter gente sem saber pra qual delas olhar.

 

tá sem saber pra onde olhar né, kkk

tá sem saber pra onde olhar né, kkk

 

Drew, em entrevista ao USA Today, disse

“ Venho guardando tudo em um porquinho, trabalhando como diretora, indo à museus , ouvindo algum tipo de música, tudo que aprendi em toda minha vida tenho colocado dentro desse porquinho, e eu acabei de despedaça-lo no chão e usarei tudo que tenho nesse filme.”

Quebra mesmo Drew! Estamos loucas pra pegar nossos patins empoeirados e sair por aí!

Assistam o trailler recém lançado que tem na trilha Weezer (“Porks and Beans”) e Peaches (“Boys Wanna Be Here”).

Aloka do E.T.

Julho 15, 2009
aew galerë, peace!

aew galerë, peace!

Uma das minhas atrizes favoritas, Drew Barrymore, sim essa mesma, a garotinha que fez entre tantos outros sucessos o memorável  E.T.  de Steven Spielberg, e que teve uma carreira tão conturbada no início que me surpreende que ela continue viva , atuando, produzindo e agora dirigindo.

Ela foi uma estrela precoce, seu primeiro filme foi com nove meses de idade, e a partir de E.T. decolou rumo ao estrelato e acabou vivendo os resultados que ele trás. Aquelas duas palavrinhas que parecem ter nascido grudadas quando se trata de show business: Fama e Destruição. O que mais chocou na época, foi o fato de Drew, com apenas 9 anos,  começar a se perder com drogas, álcool e festas pouco recomendáveis para uma garota tão nova, vivendo o lado pesado de uma vida adulta.

A loca já se jogava antes mesmo de entrar na adolescência, e começou a perder muitos trabalhos por conta disso. Teve que se mandar pro Rehab e claro, como tantos outros, escreveu um livro contando detalhes decomo foi a experiência. O livro se chama Little Girl Lost.

A partir daí nem precisa dizer né, a coitada figurou em filmes super decadentes, fez papeis de entrar muda e sair calada e pra não ficar só nisso até pelada ela posou. É, acreditem, Drew apareceu na capa de uma Playboy em 1995. Mas, apesar de todas essas trasheiras, a menininha do ET conseguiu dar a volta por cima e começou a atuar como a mocinha boazinha dos filmes, foi dirigida por Wes Craven e Woody Allen, e teve sua retomada no ano de 96 quando voltou a mostrar seu verdadeiro talento.

Nessa retomada ela se tornou uma grande empreendedora, e recuperou sua imagem fora das telas, que estava péssima. A pá de cal final sobre sua imagem de garota perdida veio com o ótimo trabalho de ”Nunca Fui Beijada”, em que conquistou de vez seu público.

Eu acho ela super cool,  ela já namorou com Fabrizio Moretti, baterista do  The Strokes na melhor fase da banda, é madrinha de Frances Bean Cobain, filha de Courtney Love (ex-Hole) e Kurt Cobain (o falecido líder do Nirvana), e ainda é uma das celebridades mais engajadas em causas políticas, até vegetariana ela virou, não é um sucesso?

Drew mostrou-se também bastante ativa trabalhando como produtora, garantindo ocupação atrás das câmeras. Agora ela está finalizando seu último trabalho, e nesse filme ela não só atua como dirige. Vou dedicar o próximo post todo pro filme, nem preciso dizer que estou mega ansiosa. Vai lá Drew, você é foooda!

ai daddy, leite não, prefiro smirnoff. humpf

ai daddy, leite não, prefiro smirnoff. humpf

Drew sempre gata na balada.

Drew sempre gata na balada.

Back in your Head

Julho 13, 2009
Tegan e Sara, qual é qual?

Tegan e Sara, qual é qual?

Quem aí conhece Tegan and Sara? Se não conhecem deveriam viu, o pop é honesto e de qualidade.  Eu sempre lia na internet sobre as irmãs canadenses que tinham uma banda e eram lésbicas e nunca me interessei. Até que um dia elas apareceram em um episódio de The L Word (ep.11 da 3ª temp.), que, aliás, eu amoooo. É aquele  em que Shane e Dana tomam um ácido e saem pra dar um rolê. Daí elas vão parar justamente num show das gêmeas, é hilário. Vejam esse trechinho delas cantando So Jealous aqui.

Então, gostei logo de cara e fui procurar, baixei todas as músicas e confesso que escuto bastante. As letras são legais, os arranjos idem, e as melodias grudam na cabeça de uma forma positiva e é tudo muito bem produzido. É aquela musiquinha pra descer a rua assobiando, sabe?

Tegan and Sara estão desde adolescentes na estrada e têm um som rock/pop bastante maduro – Maduras as duas também são quanto ao burburinho sobre sua sexualidade.

Em entrevista ao site afterellen Sara disse:  “Eu não entendi por que eles tinham que falar tanto sobre nós sermos gays. Mas depois pensei: ‘Não existem muitas pessoas por aí no mainstream que estão fazendo o que fazemos’. Eles têm que escrever sobre alguém primeiro.”

Há quem diga que elas são gatíssimas, morrem por elas, adoram as músicas e tem mais, além de pop elas são super políticas e engajadas. São assumidas sim, desde o início sim, e não ficam se escondendo igual outros tantos exemplos que todas nós sabemos.

Muita gente já deve saber tudo que escrevi até agora, mas o que quase ninguém sabe, uma vez que não se tem notícias sobre isso em blogs e jornais brasileiros (não que eu tenha achado, e olha que procurei bastante) foi de que uma outra banda, que eu também posso me considerar fã, escreveu uma música estúpida sobre elas, Creeping out Sara. Ainda continuo fã dos caras do NOFX, mas achei desnecessário o que fizeram. Muitos blogs norte-americanos e ingleses criticaram o NOFX, chamando-os de babacas punk rockers, skatistas estúpidos, entre os mais leves por fazerem uma música que ofende não só as gêmeas, mas toda a comunidade lésbica.

Larry Fitzmaurice escreveu: “Durante os três ridículos minutos da música, o vocalista do NOFX, Fat Mike, nos conta a história de como conheceu uma das irmãs no backstage de um festival na Alemanha, mas não era capaz de dizer qual das duas. Depois de notar que estava falando com Sara (ele ouviu que Tegan que era a mais legal) ele começa a tirar ela do sério perguntando se ela sabe alguém ali que vendia pílulas ou cocaína – e se ela e a irmã já pegaram juntas a mesma mulher, se já fizeram um à três! (affff!).

Fat Mike, olha a cara de otário dele.

Fat Mike, olha a cara de otário dele.

Pra mim esse som é um caso clássico de um cara que se sente idiota perto de uma lésbica, não sabe o que pensar ou como se comportar, provavelmente se sente inferior por não ter capacidade de entender a situação e então começa a atacar a sexualidade dela.

Ele ficou puto porque as meninas provavelmente pegam mais mulheres que ele. A música, não bastasse falar mal de lésbicas, ainda está recheada de pré-conceitos americanos idiotas, ele fala mal dos canadenses, depois ele se mostra um completo ignorante quando diz que é fã delas mas não conhece nenhuma musica, só as da K.D. Lang. O que eles pretendem é zoar mesmo a comunidade lésbica e principalmente Tegan and Sara.

Veja a letra super inteligente da música aqui, e a tradução. (valeu Loló!)

É o tipo de música que turminhas de meninos cantam, e não porque o som é bacana, e sim, porque de alguma forma fazem eles se sentirem mais homens.

O que me deixa chateada é que essa banda é muito legal, faz bastante sucesso e não precisava fazer esse tipo de coisa. Eles não são qualquer bandinha que fica loca pra tocar em festas de famílias e bar mitzvah por aí, eles sempre estão em turnê mundial, e se prestam a uma palhaça de pirralhos dessa?

NOFX #FAIL.

E as gêmeas nem responderam, não renderam o assunto nem nada. Apenas Tegan twittou : nofx + t/s = muitos emails/ligações/blogs/textos. eu acho o albúm punk in drublic muito bom. somos lésbicas. a sara é a esquisita e eu sou a legal.

acho que isso bastou.

The Runaways

Julho 10, 2009
The Runaways

The Runaways

Não sei se vocês estão sabendo, mas a Kristen Stewart aquela chata gata do Twilight já está filmando seu novo trabalho, onde a mesma será nada menos que a poderosíssima Joan Jett, uma das figuras femininas mais importantes na história do rock. Em 2003, Joan Jett foi nomeada pela Rolling Stone a 87ª melhor guitarrista de todos os tempos.Ela é foda, se tornou a 1ª mulher a começar sua própria gravadora. Sem comentários.

Mas então, o filme vai contar a história da banda The Runaways, formada por Joan nos anos 70 e que tem o título de primeira banda de meninas que tocava rock pesado, de sua rápida ascensão até a dissolução. A diretora Floria Sigismondi escreveu o roteiro e dirigirá o filme. Jett será produtora-executiva.

Até aí tudo bem, até que me deparo com a notícia de que Cherie Currie, a tecladista da banda, que a Joan pegava horrores, vai ser interpretada por Dakota Fanning. Oi?

E o pior, as duas vão gravar cenas tórridas, incluindo beijos e sexo. Peraí, para tudo, essa Dakota não é aquela pirralha insuportável de 5 anos??? Como assim cena de beijo e sexo com a garota amiga do porquinho?

Primeiro choquei quando ouvi falar que a Kiki Stewart(como é conhecida pelos íntimos)  ia ser a Joan,mas daí vi as fotos e até achei que ficou bem fiel, agora, a Chacotta Fanning de Currie? A tecladista loca desmiolada e com tendências lésbicas? Ah não gente, isso foi demais, forçaram demais. Mas vamos esperar né, quem sabe não me surpreendo também? #NOT

Enquanto isso vou subir fotos das duas e um vídeo onde a idiota desastrada da Kristen toma o maior capote durante as gravações. Tadinha, depois de deixar cair o troféu ao vivo durante a premiação do Mtv Movie Awards, eu não duvido de mais nada. Só espero que ela tenha tomado aulas de como atuar porque Twilight e filmes de sessão da tarde tudo bem, mas se ela estragar a imagem da Joan Jett, aí não só eu, mas muitos vão ficar putos indignados.

Beija o chão Kiki (vídeo)

Ahazou no Mullet e nas olheiras!

Ahazou no Mullet e nas olheiras!

Tá gata de leather Jacket

Tá gata de leather Jacket

E não é que a pirralha cresceu, mas pra mim ainda é a amiga do porquinho.

E não é que a pirralha cresceu, mas pra mim ainda é a amiga do porquinho.

Tudo a ver né, gente sem noção, a Chacota tá parecendo uma mistura de Shakira e Joss Stone

Tudo a ver né, gente sem noção, a Chacota tá parecendo uma mistura de Shakira e Joss Stone

Divas Punk!

Julho 8, 2009
Beth Ditto!

Beth Ditto!

A banda The Gossip é um trio formado por Beth Ditto , Hannah Blilie (as duas lésbicas assumidissimas) e Nathan Howdshell,começaram a carreira em 1999 mas só alcaçaram sucesso em 2005 com o albúm “Standing In The Way Of Control”. Na música de mesmo nome  eles fazem uma crítica à homofobia do governo Bush que negou a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A diva punk Beth Ditto é tão cool, que desde 2006 não sai da lista de pessoas mais hypes do mundo da música, publicado anualmente no semanário musical mais importante da Inglaterra, New Music Express, ou NME para os mais íntimos. Hoje em dia a banda é a mais querida entre gays dos Estados Unidos e Europa.

Nos últimos anos a banda se tornou conhecida internacionalmente com sua front woman Beth Ditto dando a loca, criando polêmica e inclusive posando nua na capa da revista inglesa NME, logo depois a banda assinou contrato com a gravadora gay Music whit a twist.

Beth é muito loca, lésbica ativista, ela tira a roupa no palco durante os shows, posa nua pra capas de revista, critica o governo e quem mais quiser, incluindo nessa Kate Perry, e claro, tem uma voz fantástica.

No meio de tanta correria e shows ela ainda conseguiu tempo para se dedicar a moda. Ditto lançou recentemente uma coleção de roupas de tamanho  G e GG. A coleção colorida e brilhante reflete o próprio estilo de Ditto e é muito legal ela ter traduzido seu conceito de moda em tamanhos maiores dando mais opção para quem usa esses números.

As roupas começam a ser vendidas amanhã, na loja Evans – EUA. “Só queria fazer algo especial, só para a gente, algo nunca visto antes. Espero que as roupas inspirem a pensar de um novo ponto de vista”, disse Beth.

A banda lançou mês passado seu ultimo trabalho Music For Men, com ótimas músicas, incluindo Heavy Cross, que não me canso de ouvir. Na capa a baterista Hannah ostenta um penteado super fancha parecido com o da Chloë Sevigny naquele filme Desejo proibido. A-D-O-R-E-I! E pra vcs meninas, que curtem uma baterista, subi umas fotos da supersexy Hannah.

Enjoy it!

Capa do albúm Music for Men, maravilhoso esse topete Hannah!

Capa do albúm Music for Men, maravilhoso esse topete Hannah!

adorei a tattoo

adorei a tattoo

tão curtindo meninas?

tão curtindo meninas?

ela tb faz o estilo feminina.rs

ela tb faz o estilo feminina.rs

ah tuxa ousada!

ah tuxa ousada!

tá com pizza, mas tá gata!

tá com pizza, mas tá gata!

Ae Hannah, sua banda é fooooda!

Ae Hannah, sua banda é fooooda!

Sex and the Law

Julho 7, 2009
Vai lá Cynthia, você é fantástica!

Vai lá Cynthia, você é fantástica!

Eu amo Sex and the City, e gostei mais ainda quando a atriz que interpreta minha personagem favorita no seriado, Miranda Hobbes, anunciou esse ano que vai ficar noiva. Cynthia Nixon anunciou em NY para um público enorme que está noiva de Christine Marinoni, sua companheira desde 2003. Não é um sucesso gente?

Ela disse em maio desse ano “Eu tenho um segredo para contar pra vocês, mês passado eu e minha namorada ficamos noivas, e eu tenho um anel lindo aqui para provar!” para uma platéia que a aplaudia muito.

O anuncio foi durante a Broadway Impact’s Equality rally, um evento organizado a favor da luta de casais do mesmo sexo de se casarem no estado de NY. Ela falou também que a maioria das pessoas que se opõem ao casamento gay não fazem isso apenas por questões religiosas, e sim porque não nos alcançaram ainda. Muito bom esse argumento, não é mesmo?

Cynthia com a família

Cynthia com a família

Ela ainda disse mais “Agora o argumento principal que ouço contra a legalização do casamento para casais do mesmo sexo é que isso de algum modo mudará para sempre o matrimônio tradicional, e o que eu quero saber é: Como? Como o meu casamento com a minha namorada afetará você e sua esposa ou você e seu marido que estão sentados em casa? Também ouço que o direito legal ao casamento gay é visto como ataque ao matrimônio tradicional, e quero dizer que não são vocês que estão sendo atacados, somos nós.”

” E por favor, acredite, não estou só sendo loquaz quando digo isso: o direito de casar é sobre nós, não é sobre você,  mais do que a luta pela integração foi sobre os brancos, ou o direito das mulheres de votar foi sobre os homens. Isso é sobre você privando uma porção significante da população de seus direitos civís básicos. ”

Uau, amei esse discurso, merece ou não palmas??? Ela foi lá com a cara e a coragem lutar pelos nossos direitos. Podíamos ter mais gente assim aqui no Brasil ein!

Kristin Davis e Gov. Paterson tb foram dar apoio

Kristin Davis e Gov. Paterson tb foram dar apoio

#Fake

Julho 6, 2009
#fake l

#fake l

Sapeando pela internet hoje me deparo com a seguinte matéria “Inimigas na novela, Juliana Paes e Cléo Pires posam para campanha em clima lesbian chic” no site MixBrasil. Nem preciso dizer o quanto fiquei irritada , eu odeio quando a publicidade é apelativa a esse ponto, de precisar lançar mão de um fetiche masculino pra se valer.

Receitinha de bolo pra chamar atenção: pegue duas mulheres (conhecidas ou não) desejáveis e coloque as duas se agarrando, qualquer idiota olha. RI-DI-CU-LO. A afetividade entre duas mulheres não é pra se colocar em vitrine não, ai peraí. E se não fosse com essa intenção porque eles não colocam dois homens se agarrando pra vender algo para mulheres?  Porque não ia fazer efeito, não ia chamar atenção. Essa polemica só funciona quando se trata de duas mulheres. Isso porque até hoje o relacionamento entre mulheres não é visto como relacionamento e nem é respeitado pelos homens e nem pelas próprias mulheres. Pra eles é fetiche e pra elas estratégia. Quantas vezes eu presenciei, na boate, duas meninas heterossexuais se agarrando só pra chamar atenção e aguçar a curiosidade dos machos pra acasalar?

Não agüento mais essa onda lesbian chic. Acho um desrespeito essas fake lesbians, utilizando nossa imagem pra atrair  atenção do publico masculino. To bem puta mesmo com essa campanha da Arezzo.

Veja a palhaçada do video de making of da campanha

Lado B

Julho 5, 2009

reading

Não dá pra falar de literatura lésbica sem mencionar Virginia Woolf, ela foi a diva da literatura voltada pra esse segmento, na minha opinião. Virginia não escrevia só para as lésbicas, mas foi aclamada por elas por, principalmente, alcançar tamanho sucesso em um mercado quase que totalmente dominado pelos homens. Ela foi com certeza inspiração para tantas outras que viriam depois. Li quase todos os livros e acho que toda garota deveria ler, independente de qualquer coisa.Poucas escritoras conseguiram descrever tão bem o universo feminino em todas as suas vertentes, discorrer sobre verdades que são só nossas.

Lucia Facco faz o mesmo caminho, li dois de seus livros e já virei fã. Comprei por acaso um de seus livros em uma livraria em SP e depois corri atrás de outros pela internet. E através dessa procura descobri a Editora Malagueta, a primeira editora lésbica do Brasil. Nem preciso dizer que comprei quase tudo, ainda mais porque os preços são ótimos, encontrei livros muito legais por apenas 25,00. Da Lucia eu indico especificamente dois, que são os meus favoritos: Heroínas saem do armário, literatura lésbica contemporânea, que é um livro ótimo pra quem quer saber mais sobre tantas outras novas escritoras que estão surgindo por aí, e um livro de contos que é fantástico, Lado B, História de Mulheres.

Laura Barcelar, a coordenadora da Editora Malagueta vem organizando, divulgando e ajudando a crescer o mercado editorial de títulos para lésbicas, e nas palavras da própria Laura “o principio da visibilidade é esse, se algo é visto ele está na consciência, se não é visto desaparece”.

É um projeto super legal que já trouxe bate-papo para BH e tantas outras capitais e agora conseguiu seu espaço na FLIP 2009, pra quem não sabe trata-se de um dos maiores eventos literários do Brasil que acontece na cidade de Paraty – RJ todos os anos. É um evento muito elegante em uma cidade histórica maravilhosa que trás em todas as suas edições escritores internacionais famosos. Segundo o site da editora esse ano Paraty  recebeu além de Chico Buarque e outros escritores desse escalão as autoras da Malagueta. Elas participaram da OFF FLIP, que é um evento alternativo paralelo com gente que ainda não foi convidada pro evento oficial. Aconteceu ontem dia 4 de julho um bate papo sobre literatura lésbica com Karina Dias (que já publicou mais de dez romances na internet, inclusive De repente é amor, Simplesmente irresistível, Quando o amor acontece), Mariana Cortez (também com variados romances na internet e uma história publicada em Elas contam) e Lúcia Facco (As guardiãs da magia, As heroínas saem do armário, Lado B), assim como a editora Laura Bacellar. O bate papo sobre literatura lésbica em Belo Horizonte ,organizado pela Editora Malagueta,aconteceu na Sobá Livraria e Café, uma livraria que tem um perfil bem eclético de abraçar todas as diversidades e merece uma visita de quem procura obras gls aqui em BH.