3 Fingers está de volta!

Abril 18, 2013

 

weareback

 

Atenção sindicato. 3 fingers está de volta: fanpage que fica mais fácil compartilhar diariamente o melhor do humor dyke que eu encontro por aí. O blog volta também, semanalmente, com posts maiores. Chama azamiga!

Curta a FanPage do 3fingers!

Anúncios

Apples and Oranges

Julho 25, 2012

(clique na imagem para aumentar)

A tirinha já diz tudo, mas dá pra escrever uma tese sobre isso. Não dá? Eu apenas digo que, para mim, seguir o caminho das maçãs foi o que fiz de mais acertado na vida.

😉

Lana Del Rey Goes Lesbian

Julho 23, 2012

Queridas dykes, o post de hoje veio de dicas preciosas do querido @rafaelsandim.

Primeiro o vídeo que estávamos esperando ansiosamente: finalmente a formidável Lana Del Rey fez a dyke dramática na música Summertime Sadness.  A música tem tudo pra virar um hit de fim de relacionamento lésbico. O vídeo ajuda bastante, o clima retrôzinho, momentos de um relacionamento vencido e, claro, a fofa da Lana sendo apenas sexy, delácia e depressiva, as usual.

É pra ouvir chorando lágrimas, cantando na janela e tomando litros e litros de sorvete.

 

E logo abaixo o “melhor tumblr dos últimos tempos” de hoje.

I SEE VAGINAS EVERYWHERE!

ainda bem que não estou sozinha nessa, rs.

http://iseevaginaseverywhere.tumblr.com/

 

Um beijo pro Sandim, boymagia!

 

The Real L Word – 3ª temporada

Julho 16, 2012

Teve início, na última quinta-feira, a nova temporada de The Real L Word. O reality show do canal Showtime é cria da produtora Ilene Chaiken, a mesma que produziu The L Word.

Já rolaram duas temporadas com tudo que o mundo dyke pode oferecer de melhor: super recomendadas. E vou te contar viu, Ilene leva bem a sério esse lance de “Real”, tem cenas de tirar o fôlego.

Pra essa 3ª temporada, que recebeu o nome de Bi-Coastal, a ideia é fazer um intercâmbio entre as queridas dykes do Brooklyn e de LA. A brincadeira vai mostrar um pouco dessa rivalidade que existe entre a costas  Leste e Oeste dos EUA e que, claro, alcança  também as lésbicas.

Tiveram o bom senso de tirar as sapatãs mais chatas da última temporada e colocarem umas gatas de NY. Nossa querida Whit continua firme e forte! Na página da Showtime dá pra ver as novas aquisições.

Veja os vídeos do casting e o preview da nova temporada.

 

 

Gossip no Brasil, será?

Julho 12, 2012

Bom, depois de várias tentativas frustadas, mais uma vez comprei meu ingresso pra ver o Gossip. Será que dessa vez eles vem mesmo? Vamos acompanhar…

Pra quem ainda não sabe o Festival Planeta Terra 2012 confirmou a banda pra dia 20 de outubro. Ainda tem ingresso, dá tempo de comprar.

Pra ir fazendo o esquenta vou compartilhar umas fotos da Hannah Billie, a baterista gata, que achei por aí.

Hannah Billie cazamiga dyke. 😉

A pose clássica.

sensualizando discosta.

 

bons drink

 

Fazendo a linha “um dia no escritório”

 

Dilma, precisamos da sua voz.

Junho 11, 2012

 

Publico abaixo o texto na integra da carta de Alexandre Vidal Porto à sra. Presidenta Dilma.
A carta foi publicada hoje na Folha de SP.
Alexandre é mestre em direito pela Harvard, diplomata e escritor.

Ele soube sintetizar todas as nossas questões – “Nossa cidadania permanece incompleta”.

 

Senhora presidenta, Se a senhora ligou a TV ontem, viu a Parada Gay de São Paulo.

Pode parecer festa. Mas é passeata. Parecerá que estamos dançando, mas essa dança é só uma maneira diferente de marchar. É o modo que encontramos para reivindicar direitos que todos os outros brasileiros, que não nasceram homossexuais, já têm. É a forma de dizermos: somos tão humanos e tão brasileiros quanto vocês.

Somos milhões de homens e mulheres. Mesmo que não nos enxerguem, fazemos parte da realidade. Estamos em todas as cidades e em todas as profissões.

Neste domingo, a senhora nos viu marchando. Nos outros dias do ano, porém, é mais fácil nos encontrar sendo ridicularizados em programas de televisão, barrados nos bancos de sangue, impossibilitados de casarmos com quem amamos ou espancados nesta mesma avenida em que, ontem, pedimos que o Brasil nos respeite e nos trate como iguais.

Nossa natureza é usada como xingamento. Gente eleita para nos proteger nos desqualifica. Religiosos nos apresentam como inferiores. Sofremos violência gratuita. Uma vida de rejeição e ridicularização enfraquece a autoestima, presidenta.

Note que alguns de nós desfilamos disfarçados. É para não sermos reconhecidos e nos tornarmos objeto de mais discriminação ainda quando a parada acaba e voltamos para o nosso dia a dia.

Já restauramos a democracia. Por que, então, nossos direitos constitucionais continuam ignorados? Por que seguem atacando nossa dignidade? Por que nossa liberdade é constantemente reprimida?

Às vezes parece que, no Brasil, a democracia ainda não chegou para os homossexuais. Nossa cidadania permanece incompleta.

Como brasileiros, merecemos mais respeito e mais proteção legal. O discurso virulento contra nossa natureza não pode ser descaracterizado como liberdade de expressão. Ódio e intolerância não são opinião. São crimes.

Nossas famílias têm de ser reconhecidas e tratadas com igualdade, não como anomalia. Nenhuma família é melhor ou mais moral que as outras.

Sabemos que as coisas estão mudando. Mas mudam muito lentamente. Poderiam mudar mais rápido. A vida de quem sofre discriminação é agora. Se a igualdade demorar muito para chegar, a vida passa.

Precisamos que a reforma do Código Penal tipifique a homofobia como crime. Precisamos que se estabeleça o casamento civil igualitário. Precisamos que se eduque a população sobre a diversidade humana. São tarefas difíceis, presidenta. Para realizá-las, seu apoio é decisivo.

Muitos líderes mundiais já se posicionaram publicamente em favor dos direitos de igualdade. Em seus países, isso fez diferença.

Os brasileiros homossexuais e os que com eles se solidarizam ficariam orgulhosos se nossa presidenta também emprestasse sua força para defender essa parcela de nossa população que segue sendo injustiçada. Pedimos direitos iguais, presidenta. Nem mais, nem menos. Para consegui-los, precisamos de sua voz.

 

Overdose de Kristen e Charlize.

Junho 1, 2012

Acho que não preciso nem explicar o porquê né gente:  estreou hoje “Branca de neve e o caçador”.

Adorei o ensaio que saiu na Interview Magazine. O fotógrafo Mikael Jansson preferiu a linha “clássicas e gatas”.
Jannson, cara, muito obrigada. Você deixou minha sexta-feira muito melhor.

Depois tem um video do Unscripted,  desses antes da estreia. Percebam como o Chris Hemsworth sobra… podiam ter deixado ele nos bastidores, não faria falta nenhuma.

Já Charlize e Kristen estão afinadissimas, trocando olhares, elogios e as lesbianices que já estamos acostumadas.
Rolou ou não rolou uma torta de climão leslie ali?

Copiei a perninha da Jolie.

 

Sou gata, beijos

ui

de boa curtindo um sofazinho

 

E o tal do vídeo.

Tudo é uma questão de… perspectiva.

Abril 26, 2012

 

 

 

É, e passamos a vida toda nos explicando. Não tem jeito.

Coisas que as lésbicas dizem

Abril 20, 2012

Vamos lá, assuma. Se você é lésbica certamente mantém os mesmo hábitos, repete as mesmas falas, usa as mesmas roupas, gosta das mesmas coisas e, sim, pensa da mesma forma que a grande maioria das outras lésbicas. Mas não pense que isso é ruim. Ao contrário, é questão de identidade, é o que nos diferencia de todo o resto do mundo. Saiba que você faz parte de um seleto grupo de mulheres lindas e inteligentes, e ainda que “enclichezadas” pode apostar que são os clichês mais legais. Tenha orgulho!

No vídeo “shit lesbians say” a guria teve o bom gosto de selecionar uns dos melhores clichês lésbicos.

Sintam-se a vontade de compartilhar outros que acharem interessantes.

O tal do currículo lésbico

Março 13, 2012

Bom, é preciso contextualizar pra depois não me acusarem de ter tomado doses excessivas de moralina.
Mesmo que muitas neguem, há uma prática bastante encorajada entre as lésbicas: pedir referências. Claro, todas querem se prevenir pra não entrar numa “cilada, Bino”.

Você está em um bar e acaba de conhecer a fofa, a primeira coisa que tenta descobrir é o currículo lésbico – quem foi a ultima namorada, ficante, rolo e por aí vai. Nessa hora vale correr ao banheiro e mandar sms prazamiga, pesquisar o nome no Google, tentar investigar o Facebook, afinal as redes sociais estão aí pra isso – dar spoiler e estragar toda conquista. Que levante 3 dedos quem nunca stalkeou na vida.

Mesmo que você queira jogar com a sorte, feitas as apresentações o que vem em seguida? Seria interessante perguntar o que a fofa gosta de fazer pra se divertir, ou com o que ela trabalha, se gostaria de mais um drink, certo? Errado. Isso é insignificante e você pode deixar pra depois, assuma! Como uma boa lésbica você tá se roendo pra saber o por quê de você nunca ter visto ela antes em nenhuma balada e com quem ela já namorou ou dormiu.

Afinal descobrimos que ser lésbica é quase uma profissão (que praticamos com muito orgulho) e que o currículo com  as experiências profissionais conta muito. Pode-se perder uma vaga e também dispensar uma candidata só de saber quem é ela naquele enorme (insira aqui bastante ironia) fluxograma lésbico que chamamos carinhosamente de “quem já pegou quem”. Os motivos para a dispensa são vários, não preciso nem citar.

Naturalmente existem dykes que não são tão neuróticas como a maioria e conseguem desapegar desse processo todo e curtir a balada, podendo depois estender as coisas ou não. Mas são poucas as que conseguem viu, a grande maioria segue o padrão dessa “neurose saudável”, se é que podemos chamar assim.

Se cabe aqui minha opinião, ainda que todo esse protocolo me favoreça no futuro sempre odiei spoilers. Acredito que, dependendo da situação, podemos oferecer o benefício da dúvida, mesmo que seja apenas para provar um ponto. A surpresa sempre virá, boa ou ruim, resta saber do seu ânimo e disponibilidade para esperá-la. O que me incomoda nisso tudo é as vezes não poder nem tentar, isso sim é decepcionante.