Posts Tagged ‘homofobia’

Dilma, precisamos da sua voz.

Junho 11, 2012

 

Publico abaixo o texto na integra da carta de Alexandre Vidal Porto à sra. Presidenta Dilma.
A carta foi publicada hoje na Folha de SP.
Alexandre é mestre em direito pela Harvard, diplomata e escritor.

Ele soube sintetizar todas as nossas questões – “Nossa cidadania permanece incompleta”.

 

Senhora presidenta, Se a senhora ligou a TV ontem, viu a Parada Gay de São Paulo.

Pode parecer festa. Mas é passeata. Parecerá que estamos dançando, mas essa dança é só uma maneira diferente de marchar. É o modo que encontramos para reivindicar direitos que todos os outros brasileiros, que não nasceram homossexuais, já têm. É a forma de dizermos: somos tão humanos e tão brasileiros quanto vocês.

Somos milhões de homens e mulheres. Mesmo que não nos enxerguem, fazemos parte da realidade. Estamos em todas as cidades e em todas as profissões.

Neste domingo, a senhora nos viu marchando. Nos outros dias do ano, porém, é mais fácil nos encontrar sendo ridicularizados em programas de televisão, barrados nos bancos de sangue, impossibilitados de casarmos com quem amamos ou espancados nesta mesma avenida em que, ontem, pedimos que o Brasil nos respeite e nos trate como iguais.

Nossa natureza é usada como xingamento. Gente eleita para nos proteger nos desqualifica. Religiosos nos apresentam como inferiores. Sofremos violência gratuita. Uma vida de rejeição e ridicularização enfraquece a autoestima, presidenta.

Note que alguns de nós desfilamos disfarçados. É para não sermos reconhecidos e nos tornarmos objeto de mais discriminação ainda quando a parada acaba e voltamos para o nosso dia a dia.

Já restauramos a democracia. Por que, então, nossos direitos constitucionais continuam ignorados? Por que seguem atacando nossa dignidade? Por que nossa liberdade é constantemente reprimida?

Às vezes parece que, no Brasil, a democracia ainda não chegou para os homossexuais. Nossa cidadania permanece incompleta.

Como brasileiros, merecemos mais respeito e mais proteção legal. O discurso virulento contra nossa natureza não pode ser descaracterizado como liberdade de expressão. Ódio e intolerância não são opinião. São crimes.

Nossas famílias têm de ser reconhecidas e tratadas com igualdade, não como anomalia. Nenhuma família é melhor ou mais moral que as outras.

Sabemos que as coisas estão mudando. Mas mudam muito lentamente. Poderiam mudar mais rápido. A vida de quem sofre discriminação é agora. Se a igualdade demorar muito para chegar, a vida passa.

Precisamos que a reforma do Código Penal tipifique a homofobia como crime. Precisamos que se estabeleça o casamento civil igualitário. Precisamos que se eduque a população sobre a diversidade humana. São tarefas difíceis, presidenta. Para realizá-las, seu apoio é decisivo.

Muitos líderes mundiais já se posicionaram publicamente em favor dos direitos de igualdade. Em seus países, isso fez diferença.

Os brasileiros homossexuais e os que com eles se solidarizam ficariam orgulhosos se nossa presidenta também emprestasse sua força para defender essa parcela de nossa população que segue sendo injustiçada. Pedimos direitos iguais, presidenta. Nem mais, nem menos. Para consegui-los, precisamos de sua voz.

 

Anúncios

Jair Bolsonaro não é gay, logo não é promíscuo.

Fevereiro 16, 2011

Então amigues, o post de hoje não é sobre amenidades, muito menos sobre algo divertido ou interessante. Infelizmente o que eu vou falar e compartilhar é exatamente o contrário, um episódio ocorrido ano passado que não só me entristece, mas também, me preocupa bastante.

Lembram do Dep. Jair Bolsonaro?  É aquele distinto cavalheiro que, elegantemente, afirmou em um programa da Tv Câmara que o melhor a se fazer quando seu filho está ficando gayzinho é dar umas palmadas para ele virar homem. Pra quem não viu ou quer relembrar veja o vídeo aqui.

Hoje pela manhã, olhando meu reader, dei de cara com uma outra contribuição belíssima de Jair Bolsonaro. O vídeo é do ano passado, pra mim passou batido na época. É mais que uma obrigação compartilhar esse vídeo para mostrar quem é esse senhor. Pessoas que insistem em usar a palavra homossexualismo, na minha opinião, já perdem a razão em qualquer discurso. A partir daí ele vocifera sua visão distorcida da realidade. Não devemos esquecer que Jair faz parte da comissão de Direitos Humanos. Conversando com uma amiga fiquei sabendo que existe uma cota para partidos e provavelmente ele foi indicado para tumultuar mesmo.

Por isso ele grita à plenos pulmões esse discurso ignorante e triste, se referindo aos gays e lésbicas como uma turma, uma minoria promíscua que causa asco, o fofo faz isso por contar com o fato de ser inviolável em suas falas no exercício da legislatura.

O kit gay, “que ele elogia tanto”, é uma iniciativa do MEC junto as escolas públicas de inserir a realidade gay como uma coisa normal, mostrar para as crianças desde cedo que isso existe, que muitas pessoas são assim e não é errado, como sempre se propagou. Ou seja, é uma campanha de educação e esclarecimento sexual, para ajudar no convívio e no entendimento dessa realidade. Mas o senhor Bolsonaro, com seu enorme poder de distorcer os fatos, afirma que isso vai “ensinar” e “incentivar” as crianças a serem promíscuas.

Assista e vídeo e veja se você  consegue não se indignar.

Ele não é gay, logo não é promíscuo. Sem  mais.

O funk do DADT

Fevereiro 1, 2011

Pegue um discurso homofóbico e jogue umas batidas nele. É isso que dá.

O funk do Don’t Ask Don’t Tell (DADT)

Alguém podia fazer isso por aqui tb…

 

 

(via twopointsevenone)